Não podemos ser omissos!!

Posted in Formação on 10/02/2010 by Juliana

Estava olhando o perfil de algumas pessoas na internet, e deparei-me com  muitas contradições! Vi em certo perfil, uma pessoa dizer: “Sou católica”! Porém quando fui ver os livros que ela gosta de ler estava lá: “Todos da Zíbia Gaspareto”!!! E nesse ponto, perguntei-me, que tipo de católico é esse, que se diz católico e lê livros espíritas, católico não é espírita, são duas religiões contrárias, uma prega a ressurreição e a outra a reencarnação. Não como conciliar as duas!!! Que tipo de católico é esse que não conhece a Doutrina da sua Igreja?!

                    Nesse momento me veio uma grande dor no coração, pois percebi que muitos agem dessa forma! Se dizem católicos porque foram batizados, talvez tenha feito a primeira Eucaristia, talvez a Crisma, mas não vivem como tal, desconhecem o que a Igreja prega.

                    Tive nesse instante aquela vontade de reparar o Coração de Jesus, de expiar os pecados, meus e do mundo, pois entendi como somos fracos, contraditórios, como dizemos uma coisa e fazemos outra, como pecamos.

                  Nós que realmente somos católicos, que tentamos viver corretamente, ainda que com nossas limitações e fraquezas, mas que tentamos viver de acordo com a Doutrina da Igreja, não podemos ser omissos quando nos deparamos com essas situações, pois quando nos omitimos pecamos por omissão, somos co-autor do pecado de outro.

                É preciso que ao vermos alguém  agindo na ignorância, tenhamos a coragem de esclarecer para eles o que é certo e o que é errado na nossa Igreja, e para isso é preciso que conheçamos a nossa Doutrina.

                 Não podemos mais sermos Cristãos mornos, que acham que quase nada é pecado, não! Como diz Padre Pio, se olharmos o mundo em volta, com atenção, perceberemos que quase “tudo é pecado”! E não podemos ser coniventes.

                    Então você que é católico, te convido hoje a ser um católico verdadeiro, que conhece e estuda a Doutrina da Igreja, e que não se omite ao ver um irmão pecar por ignorância.

                    Quando nos omitimos, o nosso pecado se torna por vezes, maior que o dá pessoa que pecou por ignorância.

                   Seja um Católico Verdadeiro, conheça a Doutrina da Igreja Católica, ensine, faça a sua parte!

Pense Nisso

“Quem se omite ao ver um irmão pecar por ignorância acaba pecando por omissão”

PAX

Imitação De Cristo LV I – Capitulo II

Posted in Formação on 04/02/2010 by Juliana

Do humilde Sentir de si mesmo – Reflexões

              A soberba derribou o homem, a humildade só pode levantá-lo e restabelece-lo em graça com Deus. Seu mérito não está no que ele faz. A ciência sem as obras, não o justificará no tribunal supremo, antes agravará sua sentença.

             Não deixa a ciência de ter suas vantagens, pois que vem de Deus; mas esconde ela um grande laço e uma grande tentação:” A ciência incha”, diz São Paulo; ela alimenta a soberba, inspira uma secreta preferência de si próprio, preferencia criminosa e, ao mesmo tempo, louca, porque a mais vasta ciência não é mais que um outro gênero de ignorância, e a verdadeira perfeição consite unicamente nas disposições do coração.

                     Não esqueçamos nunca que somos nada e nada possuímos de próprio senão o pecado, que a justiça quer que nos abaixemos entre tôdas as criaturas, e que, no reino de Jesus Cristo, “os primeiros serão os ultimos e os ultimos serão os primeiros” (Mt 19,30).

                        Oh! meu Deus, quantas vezes amigo de mim e esquecido de vós, me esvaeço com os fumos do mundo! Dai-me, Senhor, o verdadeiro espírito de humildade, a fim de que sendo, no mundo, o último dos homens, possa entrar com os primeiros no reino de vosso divino Filho no céu. Amém.

Imitação de Cristo – LV I

Posted in Formação on 02/02/2010 by Juliana

Capítulo I – Reflexões

                       Não temos neste mundo senão um só interesse, o da nossa salvação, e ninguém pode salvar-se senão em Jesus Cristo e por Jesus Cristo; a fé em sua palavra, obediência a seus mandamentos, a imitação de suas virtudes, eis a vida do verdadeiro cristão, não há outra; tudo o mais é vaidade. “Tenho visto, diz o Sábio, que ao homem nada fica de todos os trabalhos com que se consome debaixo do sol” (Ecl 1,3).

                     Riquezas, prazeres, honras, que é tudo isso quando se lança o corpo na sepultura, e a alma vai para a sua eternidade?

                   Pensa nisto seriamente desde hoje, porque amanhã talvez já seja tarde! Trabalha enquanto é dia, antes que chegue a noite eterna! Entesoura riquezas que nem perecem nem os ladrões roubam.

                      Estéreis desejos não te salvarão: Deus só quer obras. Imita, pois, a Jesus, se queres fazer obras que agradem a Deus, e te mereçam viver eternamente com Jesus. No estudo de sua vida aprenderás de quão pouca valia são palavras e doutrinas bem ditas sem prática de boas obras.

                       Dai-me, Deus meu, o santo propósito de imitar vosso divino Filho e meu Senhor Jesus Cristo; purificai minha intenção conforme o desejo que me dais, de maneira que todo eu de dentro e de fora só a vós olhe, a vós contente, a vós ame, por vós suspire e em vós descanse.

PAX 

 

A solução!!!

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

Se não fosse trágico certamente seria comico, mas esta é a dura realidade do povo brasileiro, entra ano e sai ano, e a corrupção no governo continua igual, mudando apenas de cara. 

Mas devo dizer que um pouco dessa situação é culpa nossa. A população unida, os eleitores, está hoje acomodados nas suas vidinhas, reclamam, mas não fazem nada para mudar o que aí está. Falta organização, a final um sozinho não pode fazer muita coisa, mas se a população de eleitores do nosso país se unisse para cobrar os direitos devidos, fizessem juz aos votos que deram nas ultimas eleições, certamente conseguiriamos tirar os que aí estão, e eleger gente honesta, que queira trabalhar sério e não somente enriquecer as custas do dinheiro público.

Na época do Color, os eleitors se organizaram, e conseguiram fazerem-se ouvir, a final este é um direito nosso, porque não repetir o que naquela época foi feito, e limparmos o nosso país dessa corja de corruptos que aí estão. Não são todos, porém muita coisa ainda precisa ser feita.

O Povo tem voz e tem vez, só precisa se fazer ouvir, precisam sair do seu comodismo, e lutar pelo que realmente importa, dignidade, honestidade. Quando é que um aposentado ganhando R$510,00 por mes, conseguirá dar conta de pagar as contas, comprar comida, e os remédios necessários à sua saúde??? Enquanto presidente, deputados, governadores, senadores e por aí vai ganhão por mes alguns mil (sem contar os das meias, cuecas e por aí vai) o povo sofre para passar o mes, e esperar que o mes seguinte seja um pouco melhor, ainda bem que Brasileiro Não Desiste nunca, se não já teriamos pulado de uma ponte, pois a situação é desesperadora.

A éra bestial do Governo Petista

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

Bispo denuncia pacote ideológico do Governo

O decreto estabelece instrumentos de controle da imprensa, entre outros
O novo Programa Nacional de Direitos Humanos, assinado pelo presidente Lula (21 de dezembro próximo passado), em terceira versão requentada, carece de melhor parecer jurídico, em conformidade com a Constituição Federal. O Presidente declarou que não leu o texto que assinou (sic). Confiou o texto à apreciação daquela que ele pretende eleger como sua sucessora na Presidência da República, a ministra Dilma Rousseff.

 O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, analisou e criticou o documento, que suspeita da agricultura de mercado, hoje principal suporte do superávit comercial e da estabilidade de preços do País. O decreto reflete a ideologia marxista, inspirando a libertação do povo. Assim, desde os anos 70 apregoa os fautores da esquerda festiva.

 Notemos duas mudanças anticonstitucionais no texto do tal decreto. Primeira: a desestabilização do legítimo direito de propriedade, ao fomentar invasões de propriedades pelos movimentos e organizações populares (leia-se MST, congêneres). Segunda: praticamente legitima a invasão e a tomada de propriedades, pelo exercício de mediação entre invasores e vítimas de invasão, antecedendo uma eventual decretação de reintegração de posse, por parte do juiz.

 Pela Constituição invasão é crime. Pelo novo decreto, invasores adquirem status legal dos antigos proprietários. Essas propostas açodam a insegurança no campo. Não se trata de ocupar terras devolutas, mas invadir propriedades produtivas. Outra bobagem do decreto seria submeter às organizações populares decisões de plantio de variadas culturas.

 A questão agrária e agrícola requer produção de qualidade e não invasão de propriedade. Por falta de incentivo, de assistência tecnológica e financeira, pequenos e médios produtores deixam de produzir. Não obstante programas interessantes como o Pronaf e outros incentivos, muitos assentamentos são pouco produtivos.

 A grande aberração do documento é manipular os Direitos Humanos, transformados em panacéia de ideologia. Vejam só. O decreto estabeleceria a profissão para prostitutas. Ora, as pessoas que se tornaram vítimas da difícil “vida fácil”, por certo, gostariam de se libertar dessa triste condição vexatória. O decreto estatui a prostituição, a promiscuidade.

 Porém, a pior aberração do decreto é estabelecer instrumentos de controle da imprensa, como recentemente foi censurado o jornal “O Estado de S. Paulo” ao veicular informações sobre os bens familiares do senador Sarney. O decreto retrocede ao expediente da censura à mídia quando esta contrariasse os interesses da cúpula palaciana governamental. Na verdade, uma pseudoesquerda se instalou com a pretensão de tomar o foro de cidadania no governo Lula, pensando em se eternizar no poder. Ah! Se a moda dos “companheiros” da Venezuela e Bolívia pegar…

 Nossa esperança é que surjam reações ao decreto que o Presidente assinou e não leu. Que fique de molho e não passe de carta de intenções. A esquerda festiva vai continuar a conspurcar e a utilizar a prerrogativa dos Direitos Humanos, tentando prevalecer ao Estado democrático, de direito e de fato.

 Dom Aldo Di Cillo Pagotto

Arcebispo da Paraíba (PB)

Agora eu me pergunto, o que mais falta acontecer, de mensalão, a sair por aí carregando dinheiro nas meias, agora essa palhaçada do novo programa de Recursos Humanos que o Presidente nem se deu ao trabalho de LER para ver o que estava assinando. Isso é uma palhaçada. Pelo menos esse pecado (de ter votado no Presidente LULA ) eu não preciso confessar.

Semear na Terra para colher o Céu!

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

No Evangelho de hoje (29/01/10) temos duas parábolas que nos trazem duas realidades: A Paciência e  a Esperança.

               Na primeira parábola Jesus diz: “O Reino de Deus é como quando alguém lança a semente na terra. Quer ele esteja dormindo ou acordado, de dia ou de noite, a semente germina e cresce sem que ele saiba como” (Mc 4, 26-34)

               Notem que é o próprio Jesus quem nos traz essa parábola tão linda e que de tantas formas se torna realidade em nossas vidas.

                A semente para germinar e gerar fruto precisa ser semeada, regada, a terra precisa ser preparada, e esta terra onde será semeada pode ser comparada ao nosso coração.

                Tudo que vivemos, tudo que fazemos, pode ser comparado a semente.  Pode gerar fruto bom ou fruto ruim.

                 A maneira como reagimos a tudo que nos acontece seja bom ou ruim, a forma como tratamos as pessoas no nosso dia a dia, nossa fidelidade para com Deus, essas são as sementes que no escondimento do nosso coração, na essência do que somos, cresce escondida no coração de Deus, e nós só saberemos o resultado quando “morrermos”, será que hoje aquilo que temos feito nos ajuda a conquistar a semente do Reino de Deus que a cada dia lançamos pelo nosso caminho? nossas sementes tem sido boas ou ruim? E o terreno do nosso coração como tem sido preparado? será que é terra fértil?

                A outra parábola é a que diz: “ O Reino de Deus é semelhante a um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce e se torna maior que todas as outras hortaliças, com ramos grandes a tal ponto que os pássaros do céu podem fazer seus ninhos em sua sombra”.

                  A parábola do grão de mostarda traz para nós a Esperança! Uma semente minúscula, que depois de semeada, cresce e virá uma hortaliça explendorosa, a maior de todas.

                      Essa linda realidade é comparada as nossas atitudes, tudo o que fazemos, somos pequenos, pobres, cheios de pecados e limitados, mas Deus nos acolhe com seu amor, e pelo olhar de Deus, todo os que estiverem dispostos a fazer a vontade de Deus, todos que tiverem um coração sincero para com Deus, ainda que com suas limitações, pecados, quedas, ainda assim,perante Deus nos tornamos grandes, príncipes, co-herdeiros do trono.

                   Por isso é tão belo o Evangelho de hoje, ele nos traz duas realidades sem as quais não seriamos felizes, viveríamos angustiados e abatidos pelo peso de nossas faltas.

               Primeiro a Paciência de plantar e saber esperar por toda a vida, até que germine na vida eterna as sementes do Reino que hoje plantamos.

               Segundo a esperança de sabermos que somos pequenos e limitados, mas que o Amor de Deus supera a nossa pequenez , as nossas limitações, e até as nossas quedas.

Pense Nisso!

Pax

Perdendo a Identidade

Posted in Formação on 10/12/2009 by Juliana

            “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam” (Mateus 11,12)

                É muito comum hoje em dia, vermos as pessoas, sobre tudo os jovens, trocando sua identidade como se fossem figurinhas de papel. Hoje sou assim e gosto de fazer isso, amanhã conheço novas pessoas, deixo-me levar pela “onda” e acabo seguindo as tendencias ao invés de seguir aquilo que eu tinha como “Certo”. Há um desvio de conduta.

             É difícil as pessoas pararem num mundo tão corrido como o nosso, para se questionarem sobre o que fazem, o que tem por certo e por errado, por moral ou por imoral, enfim, esses valores hoje em dia acabam se misturando dependendo da situação e do momento. Será que fazemos tudo o que fazemos porque nos sentimos bem, ou porque queremos nos encaixar, será que no final sempre vale a pena? o que será que perdemos ao permitir que outras pessoas ditem minha forma de ser, agir e pensar? No final só fica o vazio, às vezes até a vergonha de ter feito algo que não era do seu fetil, mas por um motivo ou outro acabou fazendo.

           Ceder é muito fácil! E é bem comum nos arrependermos depois. O mundo tem seus prazeres, que na hora até atrai, mas depois que passa o momento, o prazer vai embora, nos deixando muitas vezes desfigurados.

            Olhamos no espelho e perguntamos quem somos – quem és tu que reflete no espelho? – O silêncio toma conta, não ouvimos resposta – será que sabemos quem realmente somos?

             O evangelho de hoje nos diz que o céu é dos violentos, não das pessoas que fazem guerra, brigam, ou no sentido de uma “violência” ruim. A violência de que nos fala o evangelho é aquela onde lutamos para sermos quem Deus nos criou para sermos, aquela que fazemos contra o mundo e suas tentativas de nos roubar a identidade, violência contra as tentações.

          Aquela quando saímos com os amigos e todos bebem, apesar de termos vontade, fazemos violência contra nós mesmos e dizemos daqui eu não passo, pois conheço o meu limite.

            Muitos ainda não sabem quem são ou o que querem, é preciso  mergulhar fundo dentro de si e permitir que aos poucos Deus revele, perceber os sentimentos,os desejos, tanto os bons quanto os ruins, é preciso se perceber em cada situação.

            Deus nos fala em todos os momentos e nos revela quem somos em cada situação, tudo depende da forma como reagimos aos acontecimentos, e é preciso que estejamos atentos, para não permitir que o mundo e o encardido, roubem nossa identidade.

                Somos de Deus e para Deus voltaremos, mas somente se formos “violentos” em busca da nossa essência, da nossa verdadeira identidade:  “Filhos de Deus”. Somos Príncipes e Princesas, pois somos filhos e filhas do Rei.

            Não permita que o mundo e o diabo lhe roubem essa identidade tão valiosa e tão cara à Deus.

Pense Nisso.