Arquivo para janeiro, 2010

A solução!!!

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

Se não fosse trágico certamente seria comico, mas esta é a dura realidade do povo brasileiro, entra ano e sai ano, e a corrupção no governo continua igual, mudando apenas de cara. 

Mas devo dizer que um pouco dessa situação é culpa nossa. A população unida, os eleitores, está hoje acomodados nas suas vidinhas, reclamam, mas não fazem nada para mudar o que aí está. Falta organização, a final um sozinho não pode fazer muita coisa, mas se a população de eleitores do nosso país se unisse para cobrar os direitos devidos, fizessem juz aos votos que deram nas ultimas eleições, certamente conseguiriamos tirar os que aí estão, e eleger gente honesta, que queira trabalhar sério e não somente enriquecer as custas do dinheiro público.

Na época do Color, os eleitors se organizaram, e conseguiram fazerem-se ouvir, a final este é um direito nosso, porque não repetir o que naquela época foi feito, e limparmos o nosso país dessa corja de corruptos que aí estão. Não são todos, porém muita coisa ainda precisa ser feita.

O Povo tem voz e tem vez, só precisa se fazer ouvir, precisam sair do seu comodismo, e lutar pelo que realmente importa, dignidade, honestidade. Quando é que um aposentado ganhando R$510,00 por mes, conseguirá dar conta de pagar as contas, comprar comida, e os remédios necessários à sua saúde??? Enquanto presidente, deputados, governadores, senadores e por aí vai ganhão por mes alguns mil (sem contar os das meias, cuecas e por aí vai) o povo sofre para passar o mes, e esperar que o mes seguinte seja um pouco melhor, ainda bem que Brasileiro Não Desiste nunca, se não já teriamos pulado de uma ponte, pois a situação é desesperadora.

Anúncios

A éra bestial do Governo Petista

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

Bispo denuncia pacote ideológico do Governo

O decreto estabelece instrumentos de controle da imprensa, entre outros
O novo Programa Nacional de Direitos Humanos, assinado pelo presidente Lula (21 de dezembro próximo passado), em terceira versão requentada, carece de melhor parecer jurídico, em conformidade com a Constituição Federal. O Presidente declarou que não leu o texto que assinou (sic). Confiou o texto à apreciação daquela que ele pretende eleger como sua sucessora na Presidência da República, a ministra Dilma Rousseff.

 O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, analisou e criticou o documento, que suspeita da agricultura de mercado, hoje principal suporte do superávit comercial e da estabilidade de preços do País. O decreto reflete a ideologia marxista, inspirando a libertação do povo. Assim, desde os anos 70 apregoa os fautores da esquerda festiva.

 Notemos duas mudanças anticonstitucionais no texto do tal decreto. Primeira: a desestabilização do legítimo direito de propriedade, ao fomentar invasões de propriedades pelos movimentos e organizações populares (leia-se MST, congêneres). Segunda: praticamente legitima a invasão e a tomada de propriedades, pelo exercício de mediação entre invasores e vítimas de invasão, antecedendo uma eventual decretação de reintegração de posse, por parte do juiz.

 Pela Constituição invasão é crime. Pelo novo decreto, invasores adquirem status legal dos antigos proprietários. Essas propostas açodam a insegurança no campo. Não se trata de ocupar terras devolutas, mas invadir propriedades produtivas. Outra bobagem do decreto seria submeter às organizações populares decisões de plantio de variadas culturas.

 A questão agrária e agrícola requer produção de qualidade e não invasão de propriedade. Por falta de incentivo, de assistência tecnológica e financeira, pequenos e médios produtores deixam de produzir. Não obstante programas interessantes como o Pronaf e outros incentivos, muitos assentamentos são pouco produtivos.

 A grande aberração do documento é manipular os Direitos Humanos, transformados em panacéia de ideologia. Vejam só. O decreto estabeleceria a profissão para prostitutas. Ora, as pessoas que se tornaram vítimas da difícil “vida fácil”, por certo, gostariam de se libertar dessa triste condição vexatória. O decreto estatui a prostituição, a promiscuidade.

 Porém, a pior aberração do decreto é estabelecer instrumentos de controle da imprensa, como recentemente foi censurado o jornal “O Estado de S. Paulo” ao veicular informações sobre os bens familiares do senador Sarney. O decreto retrocede ao expediente da censura à mídia quando esta contrariasse os interesses da cúpula palaciana governamental. Na verdade, uma pseudoesquerda se instalou com a pretensão de tomar o foro de cidadania no governo Lula, pensando em se eternizar no poder. Ah! Se a moda dos “companheiros” da Venezuela e Bolívia pegar…

 Nossa esperança é que surjam reações ao decreto que o Presidente assinou e não leu. Que fique de molho e não passe de carta de intenções. A esquerda festiva vai continuar a conspurcar e a utilizar a prerrogativa dos Direitos Humanos, tentando prevalecer ao Estado democrático, de direito e de fato.

 Dom Aldo Di Cillo Pagotto

Arcebispo da Paraíba (PB)

Agora eu me pergunto, o que mais falta acontecer, de mensalão, a sair por aí carregando dinheiro nas meias, agora essa palhaçada do novo programa de Recursos Humanos que o Presidente nem se deu ao trabalho de LER para ver o que estava assinando. Isso é uma palhaçada. Pelo menos esse pecado (de ter votado no Presidente LULA ) eu não preciso confessar.

Semear na Terra para colher o Céu!

Posted in Formação on 29/01/2010 by Juliana

No Evangelho de hoje (29/01/10) temos duas parábolas que nos trazem duas realidades: A Paciência e  a Esperança.

               Na primeira parábola Jesus diz: “O Reino de Deus é como quando alguém lança a semente na terra. Quer ele esteja dormindo ou acordado, de dia ou de noite, a semente germina e cresce sem que ele saiba como” (Mc 4, 26-34)

               Notem que é o próprio Jesus quem nos traz essa parábola tão linda e que de tantas formas se torna realidade em nossas vidas.

                A semente para germinar e gerar fruto precisa ser semeada, regada, a terra precisa ser preparada, e esta terra onde será semeada pode ser comparada ao nosso coração.

                Tudo que vivemos, tudo que fazemos, pode ser comparado a semente.  Pode gerar fruto bom ou fruto ruim.

                 A maneira como reagimos a tudo que nos acontece seja bom ou ruim, a forma como tratamos as pessoas no nosso dia a dia, nossa fidelidade para com Deus, essas são as sementes que no escondimento do nosso coração, na essência do que somos, cresce escondida no coração de Deus, e nós só saberemos o resultado quando “morrermos”, será que hoje aquilo que temos feito nos ajuda a conquistar a semente do Reino de Deus que a cada dia lançamos pelo nosso caminho? nossas sementes tem sido boas ou ruim? E o terreno do nosso coração como tem sido preparado? será que é terra fértil?

                A outra parábola é a que diz: “ O Reino de Deus é semelhante a um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce e se torna maior que todas as outras hortaliças, com ramos grandes a tal ponto que os pássaros do céu podem fazer seus ninhos em sua sombra”.

                  A parábola do grão de mostarda traz para nós a Esperança! Uma semente minúscula, que depois de semeada, cresce e virá uma hortaliça explendorosa, a maior de todas.

                      Essa linda realidade é comparada as nossas atitudes, tudo o que fazemos, somos pequenos, pobres, cheios de pecados e limitados, mas Deus nos acolhe com seu amor, e pelo olhar de Deus, todo os que estiverem dispostos a fazer a vontade de Deus, todos que tiverem um coração sincero para com Deus, ainda que com suas limitações, pecados, quedas, ainda assim,perante Deus nos tornamos grandes, príncipes, co-herdeiros do trono.

                   Por isso é tão belo o Evangelho de hoje, ele nos traz duas realidades sem as quais não seriamos felizes, viveríamos angustiados e abatidos pelo peso de nossas faltas.

               Primeiro a Paciência de plantar e saber esperar por toda a vida, até que germine na vida eterna as sementes do Reino que hoje plantamos.

               Segundo a esperança de sabermos que somos pequenos e limitados, mas que o Amor de Deus supera a nossa pequenez , as nossas limitações, e até as nossas quedas.

Pense Nisso!

Pax