Arquivo para maio, 2009

“Julgar um livro pela capa?”

Posted in Formação on 18/05/2009 by Juliana

                                                                                                                                                     amizade                           Estava eu a conversar com uma amiga, e de repente tocamos no assunto sobre uma determinada cantora, que eu havia ido a um show recentemente, e essa minha amiga perguntou-me como ela era pessoalmente.

                   Eu lhe disse que tinha gostado bastante, ela era simpatica, cativante, além de uma profunda espiritualidade em tudo que dizia entre uma música e outra. E foi então que minha amiga disse , – que bom pois eu achava ela meio “chata” –

                 Eu achei engraçado, mas disse à ela que no início, quando comecei a conhecer seu trabalho também achei ela meio “chata”, porém a medida que fui conhecendo seu trabalho, e percebendo a profundidade de suas músicas comecei a mudar de idéia, e depois do show ela me conquistou de vez, pois percebi que tudo aquilo que no ínicio eu sentia era puro “medo do desconhecido” ou “pré conceitos” em fim, há tantos nomes, mas eu disse que o show havia quebrado todo esse pre conceito erroneo, e foi então que eu disse a minha amiga – “Nunca julgue um livro pela capa”.

                 E foi aí também que a “discussão” começou, ela me disse: – “mas a capa pode nos dizer muitas coisas sobre o livro, basta que olhemos com atenção”.

                 É preciso estar atento aos pequenos detalhes, olhar além daquilo que se vê.

                Nossos olhos alcançam o inalcançável, mas é preciso que nosso olhar seja puro! Obviamente se criarmos algum tipo de conceito sobre quem quer que seja, quando olharmos essa pessoa, (ainda que não a conheçamos, que nunca tenhamos falado com ela), aquilo que achamos a seu respeito “nublará” nosso olhar, e aí nosso pensamento, nosso julgamento nos pregará uma peça, pois não vemos quem de fato a pessoa é, e sim aquilo que acreditamos que ela seja, tudo que vemos é uma imagem daquilo que criamos a seu respeito!

                  E quantos amigos podemos estar perdendo ao agir desta forma. Não damos a chance que todos merecem de se mostrar, de ser quem de fato são, de ir além da imagem que criamos. Nos limitamos a penas aquilo que pensamos, aquela imagem que esculpimos dela.

                Ninguém tem esse direito, as pessoas não podem me impedir de ser quem eu sou, e quando elas me julgam pelo que veêm, quando simplesmente olham desatentas a superfície da matéria, elas perdem a beleza dos meus pensamentos, a graça dos sorrisos, o ombro sempre amigo para aqueles que estão dispostos a me darem a chance de ser aquilo que Deus me chama a ser!

Por isso eu lhe digo:

Não fique na superfície, olhe a capa, mas veja além, perceba a sutileza dos detalhes, permita-se ser surpreendido pela beleza daquilo que se esconde nos detalhes.

Você verá como é bom poder olhar e ver além daquilo que nossos olhos podem ver, olhar além da matéria e poder perceber o que se esconde por traz do mistério que todo ser humano traz consigo!

Permita-se mergulhar na beleza dos detalhes!

“Duas Faces da Mesma Moeda”

Posted in Formação on 14/05/2009 by Juliana

830380-9038-it2“Que o verso, tem reverso

que o direito, tem avesso

que o de graça tem seu preço

que a vida tem contrários

e a saudade é um lugar

que só chega quem amou

e que o ódio é uma forma tão

estranha de amar…” (Pe Fábio de Melo)

 

                          Quem é o depositário da verdade? Qual é o ser humano que está sempre certo? O que faz da minha “verdade” mais verdadeira que a sua? Ou a sua mais que a minha?

                          Tudo na vida tem “dois lados”, nem sempre o que é certo para mim, será certo para você, e o que me faz bem, pode não fazer à você, e aí? Como definir o certo do errado, quem tem razão e quem não tem?

                          Estamos hoje cercados de assuntos polêmicos, cada um com o seu “achismo” querendo convencer o outro da sua verdade, por isso precisamos de leis para nortear nossa sociedade, se não tudo vira bagunça, leis essas que nem sempre agradam a todos, construídas por homens, tem suas falhas, como quem as formulou, precisamos de ética e de valores, que na maior parte são introjetados em nós ainda na infância, mas e se nossa base familiar não for “boa”, provavelmente os valores introjetados não seriam muito “produtivos”. Como lidar com os contrários na nossa vida, sem tirar o direito das outras pessoas? Como expressar nossas “crenças”, nossas opiniões sem depressiar a idéia,a opinião, o direito do outro?

                      Ainda vivemos numa sociedade que nos permite expressar aquilo que pensamos e acreditamos, mas temos que ter em mente, que há sempre um limite, além do qual estariamos agredindo de alguma forma a dignidade, o direito, do outro! Bom senso e respeito é sempre um bom caminho a se trilhar. Afinal , a minha “educação” pode depender da sua, ou vice versa, se você me respeita eu vou te respeitar (pelo menos deveria), se não, já abrimos brechas para a discórdia, para brigas.

                        Esses dias passei por uma situação um tanto quanto desagradável. Alguém argumentava a respeito da liberação do aborto, eu sou totalmente contra independente da situação, por se tratar de uma vida, à partir do momento da fecundação essa pessoa já tem direitos, dignidade (ou pelo menos deveria) e merece respeito. Ela não é culpada por estar “viva”, e tem o direito de viver sua vida, tanto quanto qualquer um de nós. Se o feto tem um problema, que possibilite que ela nasça morto ou com um quadro irreversivel, como anencéfalia, justificaria o aborto? só porque é  uma “doença terminal” afinal o feto nasce todo deformado e na maioria das vezes morto, justificaria o aborto? Então os pacientes em estado terminais dos nossos hospitais, que não tem  mais chance de recuperação e estão ocupando um leito que poderia ser usado por alguém com diagnóstico reversivo, mesmo estando eles desenganados pelos médicos estão lá, tentando prolongar ao máximo suas vidas, deveriamos optar em “matá-los” ? NÃO!!!!!!!! É igualzinho no aborto, tanto num caso quanto no outro, é ASSASSINATO!!!!!!!! Estariamos tirando o direito de viver, ainda que por pouco tempo dessas pessoas, e não nos cabe descidir quem vive ou quem morre.

               Perdo-me se você é a favor do aborto, em casos como estupro, anencéfalia, etc, mas eu não sou e sei que posso me expressar assim, não estou te agredindo nem tirando seu direito de ser pró aborto, eu sou pró vida, duas faces da mesma moeda, quem está errado? ou quem está certo? como saber?

                Nossa vida é cheia de contrários, e precisamos aprender a tratar  de idéias opostas as nossas com um mínimo de inteligência e respeito.

              Não somos donos da verdade dos outros, e não temos o direito de tornar essas verdades mentiras só porque pensamos diferente.

              É isso ai pessoal, vamos aprender a lidar com os reversos que a vida nos traz de forma consciente, tenho certeza que nos tornaremos pessoas mais “humanizadas” e em algum casos perceberemos até que nossas verdades às vezes são ilusórias.

Pense Nisso!