“Julgar um livro pela capa?”

                                                                                                                                                     amizade                           Estava eu a conversar com uma amiga, e de repente tocamos no assunto sobre uma determinada cantora, que eu havia ido a um show recentemente, e essa minha amiga perguntou-me como ela era pessoalmente.

                   Eu lhe disse que tinha gostado bastante, ela era simpatica, cativante, além de uma profunda espiritualidade em tudo que dizia entre uma música e outra. E foi então que minha amiga disse , – que bom pois eu achava ela meio “chata” –

                 Eu achei engraçado, mas disse à ela que no início, quando comecei a conhecer seu trabalho também achei ela meio “chata”, porém a medida que fui conhecendo seu trabalho, e percebendo a profundidade de suas músicas comecei a mudar de idéia, e depois do show ela me conquistou de vez, pois percebi que tudo aquilo que no ínicio eu sentia era puro “medo do desconhecido” ou “pré conceitos” em fim, há tantos nomes, mas eu disse que o show havia quebrado todo esse pre conceito erroneo, e foi então que eu disse a minha amiga – “Nunca julgue um livro pela capa”.

                 E foi aí também que a “discussão” começou, ela me disse: – “mas a capa pode nos dizer muitas coisas sobre o livro, basta que olhemos com atenção”.

                 É preciso estar atento aos pequenos detalhes, olhar além daquilo que se vê.

                Nossos olhos alcançam o inalcançável, mas é preciso que nosso olhar seja puro! Obviamente se criarmos algum tipo de conceito sobre quem quer que seja, quando olharmos essa pessoa, (ainda que não a conheçamos, que nunca tenhamos falado com ela), aquilo que achamos a seu respeito “nublará” nosso olhar, e aí nosso pensamento, nosso julgamento nos pregará uma peça, pois não vemos quem de fato a pessoa é, e sim aquilo que acreditamos que ela seja, tudo que vemos é uma imagem daquilo que criamos a seu respeito!

                  E quantos amigos podemos estar perdendo ao agir desta forma. Não damos a chance que todos merecem de se mostrar, de ser quem de fato são, de ir além da imagem que criamos. Nos limitamos a penas aquilo que pensamos, aquela imagem que esculpimos dela.

                Ninguém tem esse direito, as pessoas não podem me impedir de ser quem eu sou, e quando elas me julgam pelo que veêm, quando simplesmente olham desatentas a superfície da matéria, elas perdem a beleza dos meus pensamentos, a graça dos sorrisos, o ombro sempre amigo para aqueles que estão dispostos a me darem a chance de ser aquilo que Deus me chama a ser!

Por isso eu lhe digo:

Não fique na superfície, olhe a capa, mas veja além, perceba a sutileza dos detalhes, permita-se ser surpreendido pela beleza daquilo que se esconde nos detalhes.

Você verá como é bom poder olhar e ver além daquilo que nossos olhos podem ver, olhar além da matéria e poder perceber o que se esconde por traz do mistério que todo ser humano traz consigo!

Permita-se mergulhar na beleza dos detalhes!

Uma resposta to ““Julgar um livro pela capa?””

  1. Huuuuuuum…
    gostei!😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: