Se aproxíma o Tempo da Quaresma

tentacao“Jesus está para começar sua vida pública; quer percorrer abertamente o país, repreender os pecadores, convidá-los a converter-se e fazer penitência; na sua doutrina, terá de fazer frente, muitas vezes, a opiniões errôneas a respeito da fé e da moral; terá de apresentar-se ao povo como o Messias prometido, como Filho de Deus e de exigir humilde aceitação de sua doutrina. É uma tarefa difícil, que traz consigo muitos trabalhos penosos, mortificações, sofrimentos, inimizades e perseguições. Por isso se prepara o Salvador para essa obra com jejum e meditação, na solidão do deserto.

           Ali, no retiro absoluto, deixa tentar-se por satanás, que parece não lhe conhecer a divindade. Por causa da inseparável união de sua alma com o Verbo Divino, não podia a tentação nascer-lhe da própria natureza, mas podia só provir do exterior.

             O homem tentado, pela tríplice concupiscência, é logo inclinado a ceder  à tentação e, desse modo, inúmeros homens caem na ruína temporal e eterna. Jesus, porém, quer salvar os homens dessa maior desgraça, por isso, oferece também o jejum e as tentações sofridas como expiação dos pecados. Assim nos mostra como devemos vencer a tentação.” (Trecho do livro.: Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus – Anna Catharina Emmerich)

               Quando Jesus estava prestes a iniciar sua vida pública, Ele quis se submeter ao deserto, tentações, jejum, penitências, sofrimentos, tanto para salvar o homem da desgraça incorrida, como também para se fortalecer em tal combate.                

               Mostra-nos portanto, que é também nescessário á nós a pratica do jejum, penitências, etc, para que também nós possamos nos fortalecer no nosso combate. Nossa vida na terra, é um combate constante, que só venceremos se estivermos unidos a Paixão de Nosso Senhor, ou seja, jejuns, penitencias, são armas poderosíssimas para vencermos as tentações e o pecado e conquistarmos em Cristo o céu.

                  Estamos nos aproximando do Tempo da Quaresma, e um pouco antes de chegarmos a este tempo, eu tenho o costume de começar a me preparar para vivê-lo o mais santamente possível. Durante todo o ano deveriamos buscar a nossa união com a Vontade de Deus, mas o tempo da quaresma é um tempo propício para a busca da conversão, para nos voltarmos mais à uma vida “interior”, nos unirmos mais a Paixão de Nosso Senhor.

                Este ano iniciei a leitura do livro acima citado, e pude perceber que para que nós tivecemos uma chance, Jesus quis por amor, submeter-se a condição humana (exceto no pecado).

              Ele se submeteu as tentações, tanto quanto para se fortalecer, como para nos salvar, nos indicar o caminho. Nos mostrou que somente pelo recolhimento, oração, jejum, podemos vencer a tentação.

             Nossa condição humana é fraca e facílmente cede as tentações, então percebi, que se não formos de certa forma “violentos” conosco, com nossa vontade, dificilmente venceremos a tentação, seja ela qual for.

            A tantos modos de sermos tentados! Às vezes para nós parece algo tão insignificante, a impressão que temos é que tanto faz, mas aos poucos acaba com nossa vida espiritual, nos deixa fracos. E muitas vezes os sintomas se tornão até físicos, mas não nos demos conta, de que a culpa disso tudo, é nossa, muitas vezes não temos mais vida de oração, e derrepente começamos a nos sentir carregados, cançados, desanimados, isso tudo porque expulsamos Jesus e suas armas poderosas, oração, jejum, penitencia de nossas vidas.

            Por exemplo, eu gosto muito de dormir e assistir televisão, apesar de não assistir qualquer programação, ainda assim gosto muito de assistir TV, então, muitas vezes se eu não exigir de mim mesma sair da frente da TV, ou levantar mais cedo, acabo rezando pouco, rezando mal, ou até mesmo não rezando, e isso acabaria com minha vida espiritual e com minha união com Jesus, porque eu estaria aos poucos excluido Ele da minha vida.

             Então preciso ser violenta comigo mesma, o ser humano tem uma tendencia ao comodismo, essas tentações muitas vezes passam por nós despercebidas! – Ah, hoje eu não vou rezar, amanhã eu rezo! – e quando vemos, já não rezamos a um bom tempo, e os sintomas vesmos depois, no nosso dia-a-dia, nosso contato com as pessoas.

           A prática, a vivência das virtudes, que nos tornam pessoas melhores, o desejo de santidade, de em tudo estarmos conformados com a vontade de Deus, isso só é possível com a oração, com o jejum, etc. Então precisamos ser violentos conosco, para não nos acomodarmos.

        Todos temos uma aréa onde somos mais fracos, onde caímos mais fácilmente, mas, quanto mais eu me entrego a oração, ao jejum, a uma vida mais recolhida em Jesus, a meditação, mais força eu terei para combater o bom combate, como diria São Paulo.

            Mas é preciso, coragem, força de vontade para sermos radicais. Se não criamos o hábito, não seremos fiéis, um dia fazemos jejum, depois só no mes seguinte e quando vemos não jejuamos, não rezamos, e dessa forma cairemos.

              Quantas pessoas esperam chegar a quaresma, pois é um tempo que se fala muito de Jejum e oração, e nessa empolgação, começam a rezar, jejuar, e passando essa época, esquecem, e não rezam mais, não jejuam, etc. A oração, o jejum, a meditação, as penitências não são exercícios para fazermos somente na quaresma, pelo contrário, devemos exercitar durante todo o ano, e na quaresma intensificar essa vivência.

           Quando se fala de penitência, de jejum, muita gente logo se assusta, pensam que tem que ser algo grandioso, mas não, Jesus diz “Eu quero a misericórdia e não os sacrifícios”, cada um dá à medida do seu amor e da sua condição. Você pode durante a quaresma, abrir mão de algo que goste muito de fazer, em oferecimento, em expiação, você pode cortar da sua alimentação as sobremesas por exemplo, em fim cada um oferece aquilo que pode, que para si próprio é um sacrifício, e que Jesus aceitará com amor e misericórdia, pois Ele vê os corações.

             Vamos nessa quaresma que se aproxima, fazermos juntos um propósito, para que Nosso Senhor nos ajude a sermos violentos na vivência do evangelho e na radicalidade na busca da santidade, contra as tentações do inimigo, e nosso próprio comodismo.

            Aumente seu tempo de oração, evite a televisão, levante mais cedo todas as manhãs, busque forças nas Santa Missa, cada um sabe onde precisa exercitar e buscar a conversão.

             Não foi a toa que Jesus ficou no deserto recolhido em oração, sendo tentado. Foi para mostrar que se Ele sendo Filho de Deus, teve que buscar forças na oração e no jejum, também nós temos que seguir o seu exemplo.

            É muito fácil nos acomodarmos e pensar que porque não fazemos mal a ninguém, vivemos nossa vida, no nosso cantinho, já estamos salvos, quantas almas se perdem por se acomodar dessa forma.

        “o céu é dos violentos“, seja você também violento, contra o seu comodismo! Somos nós que devemos buscar o nosso céu. Jesus padeceu na Santa Cruz, para nos dar essa chance, mas Ele precisa da nossa ajuda para a nossa remissão, é preciso que façamos a nossa parte, Ele já fez a dele e continua nos auxiliando até hoje, mas é preciso que paçamos sua ajuda, e nos comprometamos a fazer nossa parte. 

              

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: