NÃO SE PODE ABRASAR O MUNDO COM UM CARVÃO APAGADO!!!

Quantos apóstolos vemos iludidos atravéz da história e estamos contemplando ainda hoje. Quiseram abrasar o mundo com um carvão apagado! É mais pelo sofrimento, pelo sacrifício, pela penitência e pela oração que se salvam os homens, do que por muito ativismo exterior. (Trecho do Livro, A infancia espiritual – Sta Teresinha do menino Jesus, por Ângelo R.Lucena)

              p                                                                                                   Certa vez estava meditando sobre este trecho do livro que fala do itinerário espiritual de Santa Teresinha do Menino Jesus, a infância espiritual, e comecei a pensar em como nos comportamos quando estamos a frente de algo na Igreja, ou quando fazemos parte de algo, seja um grupo de oração, movimento ou pastoral, etc.

             Quantas vezes agimos como este apóstolo que cita o livro, quremos abrasar o mundo com um carvão apagado. Esse “carvão”, na verdade, somos nós. Antes de querermos mudar o mundo com nossas idéias, projetos, é necessário que nosso interior esteja ardendo de amor por Jesus, esteja abrasado de boas intenções, inteções puras.

             E como muitas vezes nem percebemos que nossas inteções não são nobres, as vezes, nosso orgulho toma conta, e acabamos esquecendo que “somos nada”, que o que realmente importa, é que nossa vida, nosso testemunho resgate as pessoas para Deus, muitas vezes queremos pregar o evangelho, mas nós mesmos não o vivemos. Isto torna nosso testemunho hipócrita, fadado ao fracasso, ainda que as pessoas não percebam, Deus tudo vê, e é agrada-Lo que importa, um dia seremos julgados por nossas obras e nosso coração, nossas reais intenções. Às vezes nossa inteção não é ruim, mas esquecemos de nos questionar sobre o que nos MOVE, o que realmente nos MOTIVA, e é a falta desses questionamentos que nos levam para longe da pureza na inteção. Será que realmente faço as coisas por amor a DEus? será que o que me motiva é a vontade de fazer Jesus conhecido e amado por todos? Ou será que é simplesmente a euforia de fazer parte de “algo” ou o desejo de fazer algo grandioso??

          Muitas vezes esquecemos que antes de querer mudar o mundo, é preciso iniciar um processo de conversão, de mudança dentro de nós mesmos. Fazemos tanto barulho fora de nós, para tentarmos mudar os outros e esquecemos que antes é preciso que “EU” mude.

         O ativismo desequilibrado acaba apagando em nós os movimentos inspirados pelo Espírito Santo, ficamos tão ocupados em saber e planejar nosso próximo passo, a próxima pregação, o próximo show, a próxima missa, que esquecemos de deixar Deus agir em nós, esquecemos de cultivar a ação do Espírito, não rezamos direito, ou rezamos com pressa, ou até em nossas orações esquecemos de deixar Deus realmente falar, não jejuamos, não fazemos penitencia, não rezamos o terço, em fim, não cultivamos nossa Fé.

         Pensando nisso, cheguei a conclusão de que se eu não der um testemunho de vida de acordo com aquilo que falo e faço no meu ministério diante de Deus nada vale, pois Ele conhece meu coração, ainda que as pessoas não percebam nosso relapso, nossa falta de fé, nossa falta de oração, Deus sabe, e sente falta de nós.

         Deus sabe quando deixo de confiar na Sua providência! De que vale eu pregar o Jejum, a penitência e a oração se eu mesma não faço? De que vale que eu diga aos outros para confiarem em Deus, se quando eu tenho que mostrar a minha confiança, minha fé desaba??

         Somos seres humanos e não somos perfeitos, mas antes de pregarmos aos outros é necessário que preguemos a nós mesmo, porque de nada vale eu falar aos outros se eu mesma não acredito naquilo que prego.

         Deixar Deus ser Deus em nós requer confiança Nele, mesmo quando tudo parece perdido, pois é nessas horas que Deus age, enquanto estamos no controle, enquanto planejamos tudo Deus não pode agir, mas se saímos do controle, então Deus age.

         De nada vale minhas palavras se eu não cultivar em mim aquilo que quero pregar aos outros.É preciso que pratiquemos o jejum, a oração, a penitencia, mas de coração, para salvar almas, para atrair os homens à Deus, nossa inteção diante de Deus é que produz a conversão no coração da humanidade, se eu fizer tudo isso com um coração arrogante e orgulhoso que frutos eu colherei?

          Só Deus conhece verdadeiramente o nosso coração e é a Ele que prestaremos contas no fim da vida. Se jejuei, fiz penitencia, orei, fiz caridade, tudo isso depende da intenção e pureza do meu coração, e isso não é visivel aos homens somente a Deus!!

          Por isso peço a graça de hoje preocupar-me somente em agradar a Deus, pois o que é loucura aos homens é sabedoria diante de Deus, que Ele me conceda a graça de sumir diante dos homens, que minhas ações sejam sempre ocultas aos olhos humanos, e que tudo o que me motive, seje realmente de coração, para agradar unicamente a Deus.

         como diz Santa Teresinha do Menino Jesus:

 

” A MIM NÃO IMPORTA AGRADAR AOS HOMENS, MAS ÚNICAMENTE À DEUS”

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: